Participe da comunidade do meu Blog

terça-feira, 30 de junho de 2009

Em sessão do Legislativo, Prefeitura anuncia que quer dividir grandes lotes urbanos

Anúncio foi feito ontem pelo secretário de Planejamento. Objetivo é forçar a queda de preços dos imóveis. Só 4% da área urbana está desocupada

Foto: Ricardo Lopes
Público lotou a Câmara: reunião, e não a audiência exigida por lei

Com ânimos alterados, vaias, palmas e bate-boca, cerca de 300 pessoas participaram ontem à noite, na Câmara Municipal, da audiência pública para discutir as alterações no Plano Diretor de Maringá. O secretário de Planejamento, Jurandir Guatassara Boeira, revelou que a prefeitura está notificando donos de grandes lotes para obrigá-los a dividir em datas, visando reduzir preços de terrenos.

Apesar de o público lotar o plenário, o secretário informou que a reunião de ontem não valeria como audiência pública oficial, exigida pela lei. Boeira lembrou que várias entidades haviam manifestado interesse em debater o assunto e pediram ao promotor de Justiça Maurício Kalache que interviesse para garantir a mudança da data.

“Já que muitos demonstraram desconhecer o assunto, resolvi manter a reunião e dar um prazo, de até três meses, para que as dúvidas sejam esclarecidas, para depois realizar a audiência pública oficial. Boeira também frisou que, apesar do adiamento da audiência, “Maringá tem urgência em resolver essa questão”. Segundo ele, a prefeitura quer ampliar a área urbana, para reduzir o preço dos lotes.

“Temos apenas 4,07% de áreas vazias dentro do perímetro urbano, por isso os preços de terrenos em Maringá estão tão altos”. Se a cidade não avançar sobre a chamada área de contenção (que mede 22 quilômetros quadrados e representa 16% da área urbana), criada para forçar a ocupação de terrenos baldios, “não teremos como garantir o projeto ‘Minha Casa Minha Vida’, através do qual pretendemos construir, no mínimo, 2.900 moradias”, advertiu.

A prefeitura pretende construir seis mil casas com os recursos do programa lançado pelo governo federal para a construção 1 milhão de moradias em todo o país. O programa é dirigido a famílias com renda de até 10 salários mínimos, com maior foco nas que têm renda de até 3 salários.

Os proprietários de grandes áreas têm prazo de um ano para apresentar o projeto de divisão da área e mais um ano para a executá-lo. Conforme Boeira, Maringá tem hoje 5,5 milhões de metros quadrados de áreas vazias, que podem ser divididas em 8 mil lotes de 300m2.
Fonte: O Diário do Norte do Paraná Online

Leia mais >>

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Vaticano afirma estar com os restos mortais do Apóstolo Paulo

O papa Bento 16 encerrou neste domingo o Ano Paulino e revelou que restos que estão na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma, pertencem ao Apóstolo dos Gentios.

Diante de milhares de fiéis e representantes do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, reunidos na basílica dedicada ao apóstolo Paulo, o papa informou que recentemente uma sonda foi inserida no sarcófago que se conserva sob o altar maior local.

A sonda revelou a existência, no interior do sarcófago, de um precioso tecido de linho de cor púrpura laminado em ouro puro e outro de cor azul com fios de linho, assim como de grãos de incenso vermelho e substâncias protéicas e calcárias.


Também foram encontrados pequenos fragmentos ósseos, que foram submetidos a exames por “especialistas que desconheciam de onde provinham, e que deram como resultado pertencer a uma pessoa que viveu entre o primeiro e o segundo século”, acrescentou o papa.

“Tudo parece confirmar a unânime e incontrastável tradição de que se tratam dos restos mortais do apóstolo Paulo, o que nos enche de profunda emoção”, afirmou o pontífice.

Bento 16, que dedicou este Ano Paulino às celebrações pelos 2.000 anos de nascimento de Paulo, lembrou os vários escritos de Paulo de Tarso, entre eles as Cartas aos Romanos, nas quais fala do “homem novo”.
Fonte: Folha On line

Leia mais >>

ONU afirma que 3,4% dos alunos já usaram ecstasy

Escalada de crack e cocaína também se deu entre os menores de 18 anos

O dado mais preocupante do Relatório Mundial sobre Drogas 2009, divulgado pelo Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (Unodc), é o número de consumidores de ecstasy entre jovens estudantes do ensino médio, que seria de 3,4% dessa população em 2007.

O crescimento do consumo e apreensão de drogas sintéticas colocou o Brasil na 22ª colocação entre os países que já apreenderam esse tipo de droga. Foram 210 mil comprimidos apreendidos em 2007. É o único na América do Sul.


No ano passado, a Polícia Federal descobriu, no Paraná, o primeiro laboratório clandestino no País, o que revelou o início de uma produção local. A maior preocupação da ONU seria com os chamados “usuários problemáticos” - algo em torno de 18 a 38 milhões de pessoas entre 15 e 64 anos.

A evidência de que as drogas invadiram a vida dos jovens, incluindo os que estão inseridos em classes sociais mais altas, não se restringe às chamadas “balas” ou drogas do amor, consumidas, em especial, nas baladas.

Outros estudos já mostram que a escalada de crack e cocaína também se deu entre os menores de 18 anos. Um outro problema é que esse tipo de consumo também acaba aproximando a população juvenil da criminalidade. Migrar das estatística de dependente para a de infrator não é um caminho raro de ser percorrido.

Pesquisa realizada pela Escola de Enfermagem da USP avaliou 150 meninos da unidade da Fundação Casa de Ribeirão Preto, no interior, e encontrou a relação: do total, 96,7% disseram ter experimentado maconha e 65,3% deles confirmaram o uso de cocaína.
Fonte: Bem Paraná

Leia mais >>

Virgílio lista 18 denúncias e vai ao Conselho de Ética contra Sarney

A denúncia foi feita de forma individual, sem a deliberação do partido

Com uma lista de 18 denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), justificou o pedido que fez hoje (29) ao Conselho de Ética para que abra uma investigação contra Sarney. A denúncia foi feita de forma individual, sem a deliberação do partido.

No documento, o tucano diz que o fato do neto de Sarney, José Adriano Cordeiro Sarney, ter autorização para trabalhar com crédito consignado no Senado torna “imprescindível” a investigação do Conselho de Ética pela prática de facilitação na operação dos empréstimos com desconto em folha.

A situação, acrescentou Virgílio, caracteriza a “privilegiada situação de seu neto [de Sarney] nas autorizações junto ao Senado Federal”.

Virgílio subiu hoje na tribuna e disse que Sarney “não tem nenhuma condição” de permanecer do cargo. Ele cobrou uma investigação de todos os senadores que estiveram na presidência e na primeira-secretaria nos 14 anos que o Agaciel Maia foi diretor-geral da Casa.

Arthur Virgílio pediu que o Conselho de Ética escolha um relator para colher o depoimento de Sarney, num prazo de cinco dias úteis, a partir da intimação do parlamentar. As denúncias apresentadas por Virgílio para que o Conselho de Ética investigue o presidente do Senado são:


1) Maria do Carmo Macieira, sobrinha de Sarney, nomeada por ato secreto no gabinete da senadora Roseana Sarney, filha do presidente do Senado;

2) Vera Portela Macieira Borges, sobrinha de Sarney, nomeada por ato secreto no gabinete do senador Delcídio Amaral, em Campo Grande;

3) João Fernando Sarney, neto de Sarney, nomeado e exonerado por ato secreto no gabinete do senador Epitácio Cafeteira;

4) Rosângela Terezinha Michels Gonçalves, mãe de João Fernando Sarney, neto de Sarney, nomeada logo após a exoneração do seu filho;

5) Nathalie Rondeau, filha do ex-ministro Silas Rondeau e afilhado político do Sarney, nomeada para trabalhar no Conselho Editorial do Senado. Sarney preside o Conselho;

6) Amaury de Jesus Machado, funcionário da senadora Roseana Sarney na casa dela em Brasília, é lotado no gabinete da senadora;

7) José Sarney emprestou seu imóvel funcional ao ex- senador e seu aliado Bello Parga;

8) Elga Mara Teixeira Lopes, especialista em campanha eleitoral, nomeada e exonerada através de ato secreto entre o 1º e o 2º turnos da campanha de Roseana Sarney para o governo do Maranhão, em 2006. A exoneração foi cancelada posteriormente por meio de ato secreto;

9) Valéria Freire dos Santos, viúva de um ex-motorista do Sarney, mora há quatro anos num imóvel localizado no térreo de um dos prédios exclusivos para os senadores. Ocupa cargo comissionado no Senado Federal;

10) Fausto Rabelo Cosendey, gerente administrativo da empresa do neto de Sarney (SARCRIS, no Maranhão), José Adriano Sarney, é lotado no gabinete do deputado Sarney Filho;

11) Isabella Murad, sobrinha de Jorge Murad (marido de Roseana), nomeada por ato secreto para o gabinete de Epitácio Cafeteira. Ela mora na Espanha;

12) Virgínia Murad de Araújo, prima de Jorge Murad (marido de Roseana), nomeada no gabinete da liderança do governo no Congresso pela senadora Roseana Sarney;

13) Ivan Celso, irmão de Sarney, teve cargo de confiança no Senado;

14) Fernando Nelmásio Silva Belfort, diretor executivo do museu e também mausoléu de Sarney, foi lotado na Liderança do Congresso Nacional;

15) Shirley Duarte de Araújo, cunhada de Sarney, lotada durante seis anos no gabinete da senadora Roseana Sarney;

16) José Sarney encabeça os atos que criaram pelo menos 70% dos cargos de direção da Casa;

17) José Sarney recebia auxílio-moradia no valor de R$ 3,8 mil mesmo tendo casa em Brasília;

18) José Sarney ordenou que quatro servidores da área de segurança do Senado Federal fossem deslocados para reforçarem a segurança de sua casa no Maranhão.
Fonte: Bem Paraná

Leia mais >>

Licitação para penitenciária de Cruzeiro do Oeste deve ser aberta em julho

A nova unidade prisional do estado deverá abrigar 728 presos em regime fechado. Recursos são federais e estaduais. MPF quer impedir a execução da obra

A licitação para a construção da Penitenciária de Cruzeiro do Oeste deverá ser aberta em 22 de julho próximo. O chamado Centro de Detenção e Ressocialização de Cruzeiro do Oeste terá capacidade para 728 presos em regime fechado. Os investimentos com recursos do governo federal somam R$ 18,1 milhões, com contrapartida de R$ 3,6 milhões do governo do Paraná. O anúncio da abertura de licitação foi feito pelo governador Roberto Requião, nesta segunda-feira (29).

De acordo com a Agência Estadual de Notícias (AEN), de 2003 para cá 12 penitenciarias foram colocadas em operação no Paraná, e o número de vagas aumentou de 6.529, para 14.568. Outras metas, segundo o governo estadual, são a construção de uma penitenciária para jovens e adultos, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, outra para mulheres, em Foz do Iguaçu, no Oeste, além do Centro Semiaberto Industrial, em Londrina, no Norte.

Ação civil pública quer impedir a obra

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública que se baseia em investigações que identificaram diversas irregularidades na obra, como a falta de licenças ambientais e o descumprimento à Lei Penal no projeto arquitetônico das celas. Pedido à justiça feito na semana passada quer impedir a construção do presídio.
Fonte: Gazeta do Povo

Leia mais >>

MPF ajuíza ação para impedir a construção da penitenciária de Cruzeiro do Oeste

Ação se baseia em investigações que identificaram diversas irregularidades na obra, como a falta de licenças ambientais e o descumprimento à Lei Penal no projeto arquitetônico das celas

O Ministério Público Federal em Umuarama ajuizou na semana passada uma ação civil pública contra a União, o Estado do Paraná, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e o município de Cruzeiro do Oeste/PR por irregularidades na construção da penitenciária estadual do município.

O MPF solicita liminarmente que a União não libere mais verbas para o novo presídio, até que sejam solucionadas irregularidades verificadas pelo órgão, e que o Estado do Paraná não dê prosseguimento à obra, até que sejam expedidas as licenças ambiental e de edificação necessárias.


O órgão solicita o Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) e o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), que são de competência do município. O órgão solicitou também que o IAP não expeça alvarás ou licenças ambientais para a obra enquanto não lhe for apresentado o EIA/RIMA.

O MPF exige ainda que o Estado do Paraná promova a adequação do projeto arquitetônico da unidade prisional às disposições da Lei de Execução Penal e que suspenda imediatamente eventuais procedimentos licitatórios da obra.

Investigações anteriores

A ação civil pública ajuizada na semana passada teve origem em um Procedimento Administrativo instaurado pelo MPF em 2006, no qual foram apuradas diversas irregularidades. Entre elas a falta do EIA/RIMA e EIV e a desobediência da Lei de Execução Penal quanto ao cumprimento da pena em regime fechado, pois as celas não serão individuais, o que significa que presos de diferentes periculosidades podem ser colocados juntos.

A investigação constatou também que o Estado do Paraná pretendia deslocar policiais de outras regiões para a cidade de Cruzeiro do Oeste. As contratações necessárias para abastecer o presídio seriam feitas somente mais tarde. Diante disso, o MPF solicitou que o Estado triplique o efetivo de policiais em Umuarama e Cruzeiro do Oeste, para impedir uma queda na proporção de policiais por habitante e o consequente aumento de violência.

A ação é assinada pelo procurador da República Robson Martins.

Explicações

A reportagem manteve contato com todas as partes citadas na ação do MPF. A Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Seju), responsável pelo sistema penitenciário do Estado, e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), informam, por meio das assessorias de imprensa, que não foram notificados da ação e que por isso não vão se manifestar.

O IAP confirma apenas que não recebeu do município de Cruzeiro do Oeste nem do Estado do Paraná a documentação exigida pelo MPF.

O responsável pela obra da Prefeitura de Cruzeiro do Oeste não estava disponível para falar sobre o caso.
Fonte: Gazeta do Povo

Leia mais >>

Casal mata criança de 1 ano com coquetel de veneno e remédios

Dupla também tentou suicídio, mas foi presa em flagrante por homicídio qualificado

O casal de homossexuais Julio Cesar Santana, 27 anos, e Márcio Antônio de Rezende, 29, tentou se suicidar e matar uma criança de 1 ano com um coquetel de drogas e veneno de rato na noite de domingo (28) em Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba. Santana e Rezende sobreviveram. Andrius Cesar Ordenoski, de 1 ano e 9 meses, morreu.

Santana é pai de Andrius. A criança passava parte do tempo com a mãe e parte com o pai, que assumiu a opção homossexual logo depois que o menino nasceu. Desde então ele passou a viver com Rezende no bairro Jardim Veneza.

Segundo informações da Delegacia de Fazenda Rio Grande, os dois ficaram abalados e deprimidos ao descobrirem que estavam infectados com o vírus HIV, causador da Aids. Uma carta encontrada pela polícia comprova as motivações do casal.


No final da tarde de sábado, Santana e Rezende resolveram se matar com um coquetel de remédios controlados e veneno de rato, batido em um liquidificador. Parte do líquido esverdeado foi misturado ao leite da mamadeira de Andrius, que não resistiu.

Por volta das 20h, uma vizinha estranhou o fato de eles estarem trancados na casa e chamou a polícia. O corpo de Andrius foi encontrado já sem vida deitado entre o casal. Rezende e Santana foram levados ao Hospital do Trabalhador.

Nesta segunda-feira (29), os dois receberam alta e foram presos em flagrante, de acordo com o superintendente Gerson Camargo. “Eles ainda estão sob efeito de psicotrópicos e não conseguimos ouvi-los”, disse o policial. Rezende e Santana devem responder por uma série de crimes, entre eles homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e emprego de veneno). Eles podem ser condenados a pena máxima, 30 anos de reclusão.

Camargo afirma que os dois serão transferidos para Mandirituba, cidade da região metropolitana, onde haveria melhores condições para guardar a integridade física dos dois suspeitos. “O caso causou comoção em toda a população, até entre os presos”, relatou Camargo.

A delegacia deve ouvir nos próximos dias os familiares de Andrius. A mãe da criança estava abalada e sem condições de prestar depoimento nesta segunda-feira, de acordo com a Polícia Civil.
Fonte: Gazeta do Povo

Leia mais >>

Corinthians anuncia que jogo pela paz em território palestino será em setembro

O Corinthians divulgou nesta segunda-feira que a partida amistosa contra o Flamengo em território palestino será realizada no dia 15 de setembro.

A ideia do amistoso entre os dois clubes foi do Ministério das Relações Exteriores, que tem como objetivo promover a partida como o segundo "jogo pela paz". O primeiro foi o amistoso entre Brasil e Haiti em 2006, no Haiti.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Corinthians tem jogo marcado contra o Coritiba no dia 12 de setembro, fora de casa. Depois da viagem para realizar o amistoso, o time volta a disputar uma partida do Nacional, de acordo com o atual calendário da CBF, no dia 19, contra o Goiás, no Pacaembu, mas a data pode ser alterada.

O clube do Parque São Jorge confirmou que levará a equipe completa, com o atacante Ronaldo, para participar do "jogo pela paz".

Antes de fecharem acordo para a realização do amistoso, foi cogitado que a partida entre Corinthians e Flamengo em território palestino fosse válida pelo Campeonato Brasileiro.
Fonte: Folha Online

Leia mais >>

domingo, 28 de junho de 2009

Hossana para sempre e sempre e sempre

Hosanna (Tradução)- Interpretação e composição de Kirk Franklin

Os anjos genuflecti ao pensar que você
A escuridão abre caminho para a luz para você
O preço que você paga nos dá vida nova
Hossana sempre temos culto você (Repetir)

Para você é a alegria que minha alma anseia por
O cordeiro que foi morto pelos meus pecados e aquele que eu adoro
Rei dos reis, régua de tudo
Hossana sempre temos culto você (Repetir)

Ponte
Por sua paciência e bondade
E favor e misericórdia
E honra e glória
Porque você é merecedor
Não podemos viver sem você
Nós não podemos respirar sem você
Não podemos cantar sem você
Hossana, Hossana

Não mais amor neste mundo, mas você
Não se pode comparar com as coisas que você faz
Onde quer que você vá Eu vou segui-lo
Hossana sempre temos culto você (Repetir)

Algum dia toda língua deve confessar o seu nome
Esta casa feita de argila em breve deve passar longe
E seja qual for o teste que você irá trazer-nos através de
Hossana sempre temos culto você (Repetir)

Vamp
Hosanna forever
Hossana para sempre e sempre e sempre
Hossana nós te louvamos
Hossana para sempre e sempre e sempre

Leia mais >>

sábado, 27 de junho de 2009

As dúvidas freqüentes das crianças sobre as drogas


O que são drogas?

Drogas são substâncias que alteram a maneira como as pessoas se sentem, pensam e se comportam.

Qual a diferença entre remédios e drogas?

As pessoas tomam remédios se estiverem doentes. Os remédios são lícitos e devem ser usados com acompanhamento médico. Sem isso pode haver graves riscos. Pessoas usam drogas por vários motivos. Algumas usam para escapar de problemas, para fugir do tédio, para se divertir ou mesmo por causa da pressão dos colegas. Às vezes usam drogas para se rebelar contra alguma coisa e acreditam que é uma forma de chamar atenção. As drogas são ilegais, o que significa que você pode ter problemas com a polícia.

Como são as drogas?

As drogas aparecem em diversas formas: pílula, pó, plantas, líquidos, óleos ou mesmo bebidas.
Como as drogas são usadas?

De maneiras diferentes. As drogas podem ser fumadas como cigarros (maconha, por exemplo),
aspiradas pelo nariz (como a cocaína), injetadas por uma seringa (heroína), tomadas como pílulas
e às vezes misturadas em bebidas alcoólicas (anfetaminas e ecstasy).
As drogas são perigosas?

As drogas podem ser muito perigosas porque as pessoas reagem de formas diferentes a elas. Uma pessoa pode usar algum tipo de droga e ficar bem, enquanto outra pode ficar muito mal. Além disso, há pessoas que usam drogas se tornam dependentes, ou seja, elas têm necessidade de usar drogas o tempo todo.

O que as drogas fazem com seu corpo?

O efeito de uma droga é diferente de outra. A maconha faz as pessoas que a consomem ficarem
mais relaxadas. As anfetaminas e o ecstasy dão energia aos usuários. A cocaína dá a eles sensação de felicidade. Isso pode até parecer bom, mas os efeitos dessas substâncias não duram muito tempo. Algumas horas depois do uso de drogas, muitas pessoas começam a se sentir deprimidas, solitárias e extremamente indispostas.

O que fazer quando algum conhecido usa drogas?
Conte a um adulto que você confie, como seus pais, seu professor ou outra pessoa.
Fonte: Escritório contra drogas e crime da ONU

Leia mais >>

Vivendo sem drogas - Informações para pais

Comece construindo uma boa relação com seus filhos. Mostre a eles que você se importa e se interessa com o que fazem. Fale com o filho, e não para ele. Assim o diálogo pode estar sempre
aberto entre vocês. Preste atenção ao que ele diz. Você não precisa ter sempre as respostas. Fale respeitosamente com eles. Você pode se surpreender com o quanto eles sabem sobre a vida e sobre as drogas.

Faça as crianças se sentirem responsáveis

Nunca é cedo demais para ensinar as crianças a terem responsabilidade. Dê a elas tarefas em casa e aumente o nível de responsabilidade à medida que crescem. Dê às crianças um bom exemplo ao evitar o uso de drogas legais e não usar drogas ilegais. As crianças perdem todo o respeito por aqueles adultos que seguem o lema: “Faça o que eu digo, não o que eu faço”.

Não abuse de remédios nem de drogas ilegais

Você sofre de stress, ansiedade e dores de cabeça constantes? Para aliviar os sintomas recorre a
remédios da farmácia, muitas vezes sem receita médica? É fácil tornar-se dependente desses remédios ou de álcool. Drogas ilegais também não são a resposta.

Faça escolhas saudáveis. Lembre-se de que buscar saída no álcool, em tranqüilizantes ou drogas ilegais acaba sendo um mau exemplo para seus filhos. Mantenha uma dieta equilibrada e faça exercícios. O esporte é uma opção saudável para que você se sinta melhor - física e mentalmente.

Esteja informado

Saiba que drogas e derivados são ilegais (cocaína, crack, maconha, ópio, heroína e anfetaminas).
Aprenda mais sobre os riscos e os efeitos das drogas. Assim, você poderá ajudar seus filhos a fazerem escolhas conscientes. Tenha certeza de que seu filho compreende que usar drogas é um ato ilegal. Caso seja pego consumindo esse tipo de substâncias ele terá que responder por isso, inclusive na Justiça. Fonte: Escritório contra drogas e crime da ONU

Leia mais >>

Vivendo sem drogas - Informações para professores

O comportamento dos adultos tem grande influência nas crianças. Os professores têm o importante papel de informar os alunos - de forma clara e responsável - sobre as conseqüências do consumo drogas. Esse papel se torna ainda mais relevante se a criança não possuir uma família que a apóie e guie.

Os jovens enfrentam pressão em relação às drogas e à vida numa sociedade complexa e exigente. O uso dessas substâncias é basicamente um mecanismo para encarar ou escapar da insegurança.
Ajude os alunos a perceberem que não estão sozinhos quando se depararem com esses obstáculos e que existem maneiras saudáveis de contornar tais dificuldades.

Ensinando os alunos a se protegerem

Os professores podem ajudar a desenvolver a autoestima do aluno e a fortalecer suas habilidades interpessoais. Mostre tolerância, para que os estudantes possam dizer o que pensam. Induza a confiança estimulando as crianças a se aceitarem. Ajudeas a distinguir os riscos que envolvem consumo de qualquer substância psicoativa. Acima de tudo, mostre a eles que é sempre melhor fazer escolhas saudáveis.

Ensinando as crianças a expressar a criatividade

• Organizar competições artísticas sobre um determinado tema de prevenção de drogas;
• Enfatizar o esporte como uma opção saudável para os jovens;
• Desenhar camisetas com slogans que previnam o uso de drogas e o HIV/AIDS;
• Arrecadar dinheiro para instituições de caridade que ajudem meninos de rua que
usam drogas;
• Compartilhar conhecimentos novos com jogos interativos e peças de teatro

Por que a vulnerabilidade é um critério para avaliar atividade de prevenção?

O conceito de vulnerabilidade é relativamente recente no campo da saúde e está ligado ao esforço de superação das práticas preventivas baseadas no conceito de risco.

O conceito de risco ajuda a quantificar as possibilidades de adoecer. As estimativas de risco oferecem informações importantes sobre doenças.

Por exemplo: é possível calcular o número de fumantes que desenvolvem algum tipo de câncer e o número de não fumantes que têm os mesmos tipos de câncer.
A comparação entre os resultados permite concluir que as pessoas que fumam têm mais chances de ter câncer. Fonte: Escritório contra drogas e crime da ONU

Leia mais >>

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O que os adolescentes precisam saber sobre as drogas

Tecnicamente, as drogas são substâncias químicas que alteram ou afetam as funções corporais. Por essa razão, remédios são drogas, assim como cigarros, café e álcool. Estamos concentrando
nossa atenção, no entanto, nas drogas que não podem ser compradas em lojas, isto é, nas substâncias ilegais.

Existem inúmeras razões que levam pessoas a usar drogas ilegais. Alguns indivíduos as consomem para fugir dos próprios problemas, enquanto outros se sentem entediados, curiosos ou só desejam se sentir bem. As pessoas podem se ver pressionadas a usar drogas para
serem admitidas a um grupo específico, para praticar um ato de rebeldia ou chamar atenção.

'A maconha (também conhecida como marijuana, fumo ou baseado) é freqüentemente fumada como cigarro e vendida na forma de "tijolos" marrons. As anfetaminas (também conhecidas como rebites ou bolinhas) e o ecstasy são comumente vendidos na forma de pílulas, mas também podem ser misturados na bebida.

A cocaína, um pó branco ou bege, é freqüentemente inalada, injetada ou fumada, na forma de pedras de crack, que produzem efeitos mais intensos e dependência grave em pouco tempo.
Drogas diferentes causam efeitos diferentes no corpo.

Os efeitos variam de pessoa para pessoa. Em geral, a maconha dá ao usuário uma sensação de torpor, seguido de tontura, leveza e relaxamento. Anfetaminas dão sensação de injeção de energia aos usuários, para que, assim, possam ficar mais acordados e trabalhar ou dançarem mais. A cocaína, quando consumida pela primeira vez, dá às pessoas uma sensação de euforia, e faz seus usuários esquecer se estão cansados ou se têm fome.

Isso pode parecer bom, mas os efeitos dessas substâncias não duram por muito tempo. Algumas horas depois de terem consumido drogas, muitas pessoas começam a se sentir deprimidas e solitárias, além de ficarem indispostas. As drogas geram outros efeitos colaterais físicos.

As pessoas que inalam cocaína correm o risco de prejudicar o frágil tecido nasal. Drogas injetáveis expõem seus usuários a inúmeras doenças infecciosas, como o HIV/AIDS e hepatite. Além disso, o uso de drogas gera vários outros problemas de saúde, como desnutrição, falta de energia e irregularidade no fluxo menstrual e no ritmo cardíaco.

Diariamente somos bombardeados por uma gigantesca quantidade de informação sobre produção, distribuição, consumo, tráfico e efeitos sociais produzidos pelas drogas. E é um fato: as drogas podem causar danos à saúde, além de diminuir a percepção de perigos e riscos. Antes de usar qualquer droga é melhor pensar bem. Não é só a sua saúde que está em jogo, mas também sua capacidade de estudar, trabalhar e se relacionar. Você também pode acabar prejudicando outras pessoas. Fonte: Escritório contra drogas e crime da ONU

Leia mais >>

Dependência



Uso de Droga em Adolescentes
Idade de início Substância Tempo para uso problemático
11 anos álcool 2,5 anos
12 anos maconha 1 ano
13 anos cocaína 6 meses
14 anos crack 1 mês

Perfil dos Usuários
81% são de classe média
46,8% cursam o nível superior
50% mencionam apenas os efeitos positivos da droga
84% já tiveram episódios depressivos após o uso
65,6% acreditam que o ecstasy é seguro
15,6% já tiveram problemas financeiros pelo uso do ecstasy
100% usam a droga em grupo
100% são usuários de outras drogas como maconha, cocaína e LSD

Dados Epidemiológicos
20% da população usam substâncias psicoativas no decorrer da vida;
15% no mínimo são portadores da doença da dependência química;
10% a 12% desses usam mais de uma droga concomitante;
A incidência de DQ é de 2 a 6 vezes maior no homem;
DQ evolui do álcool para drogas mais pesadas;
150 mil óbitos/ano por alcoolismo nos USA;
15% dos DQ cometem suicídio (20 vezes maior que na população).


Transtornos Psiquiátricos em Pacientes Dependentes de Álcool
- 218 pacientes alcoolistas x 218 pacientes não alcoolistas - Serviço Ambulatorial Universitário do estado de São Paulo;
- Prevalência em toda vida (LTP) de transtornos psiquiátricos: 70% população alcoolista x 26% população não alcoolista;
- Depressão maior em 50%;
- Personalidade anti-social em 30%;
- Fobias em 20%;
- Abuso/dependência de outras drogas em 19%.

Transtornos de Personalidade na dependência da Cocaína
- prevalência ao longo da vida de transtornos psiquáticos foi de 69%;
- 29% com transtornos afetivos e ansiosos
- 40% com transtornos de personalidade
- 31% sem transtornos

Saiba como Agir nas Emergências

Aprenda a conhecer os sintomas de overdose (intoxicação aguda) e saiba o que fazer quando uma pessoa exagerou no uso de drogas e pode estar precisando da sua ajuda:

Conheça os sintomas:
- Perda da consciência, coma ou sono repentino e/ou profundo
- Respiração lenta ou curta ou parada da respiração
- Sem pulso ou pulso fraco
- Lábios roxos
- Convulsões, movimentos involuntários, desmaios
- Palpitação, taquicardia, dor no peito

Saiba o que fazer:
- Chame o resgate ou ajuda médica para emergências, imediatamente.
- Nunca deixe a pessoa sozinha.
- Deite a pessoa de lado, tenha certeza de não haver comida ou vômito na garganta.
- Afaste o queixo do peito.
- Nunca dê outra droga para combater o efeito.
- Nunca ponha nada na boca da pessoa, incluindo água ou medicamentos.
- Se a pessoa estiver tendo uma convulsão segure a sua cabeça com cuidado para não bater no chão ou em algum móvel

Atenção: A mistura de qualquer droga com álcool ou outras drogas aumenta o risco de overdose, ferimentos, violência, abuso sexual e morte.

Leia mais >>

Leia mais >>

Recuperação

Tratamento Médicos e Psicológicos

Os jovens em geral são rebeldes às clássicas psicoterapias, mas quando usam drogas as resistências pioram e acabam criando verdadeiras batalhas em casa para não ir às consultas. As elegações mais comuns são, entre outras:

"Não sou louco para ir a um psiquiatra, os loucos são vocês",
"Não sou viciado. Paro quando eu quiser", "Vão gastar dinheiro à toa!"

Quando há comprometimento psicológico ou físico, a consulta especializada se faz necessária. Cabe ao profissional - médico, psiquiatra, psicólogo- especializado fazer um bom diagnóstico e estabelecer um procedimento adequado. Os especialistas estão mais capacitados a utilizar, se necessário, medicamentos específicos. Há muito progresso no campo medicamentoso terapêutico. Novidades surgem a toda hora, entretanto a validade deverá ser confirmada pelos profissionais escolhidos.

Só internação não resolve

Em casos graves, quando o usuário está muito comprometido, a internação hospitalar é necessária e fundamental para dar início à recuperação. Nesse sentido, os hospitais funcionam bem.

Depois da alta, o apoio de grupos de auto-ajuda é excelente. Os "padrinhos" que adotam um novo usuário cuidam dele como se fossem um filho. A única obrigação desse "filho" é ligar para o "padrinho" quando a vontade de usar a droga começar a ser despertada. É a força da coletividade agindo sobre o indivíduo necessitado.

Não há psicoterapias nem internações que garantam uma proteção tão grande e tão empenhada quanto a que esses grupos oferecem. E, se houver, pode se tornar inviável para a maioria da população, pelo seu alto custo. (Salvar o Filho Drogado - Dr. Flávio Rotman - 2ª edição - Editora Record)

As “Sete regras básicas para interrupção do consumo de cocaína” (Washton, 1989) são válidas para dependentes de outras drogas e/ou álcool, e devem ser extensivamente discutidas com os pacientes:

1 - O momento de parar é agora
Uma das táticas mais usadas pelos dependentes e abusadores de álcool e/ou drogas para evitar ingressar em tratamento é a procrastinação (“deixar para mais tarde ou para depois”, adiamento indefinido que colabora para o aumento das conseqüências derivadas do consumo). A frase “Eu vou parar amanhã” significa exclusivamente que o indivíduo não tem nenhuma intenção atual de interromper o consumo.

2 - Deve-se parar o consumo de uma vez
Reduzir o consumo de drogas e álcool é uma tarefa ingrata e infrutífera. Cada episódio de consumo de coca aumenta o desejo por mais cocaína e assim o processo de recuperação acaba sempre adiado.

3 - Parar todas as drogas de abuso, incluindo álcool e maconha
Esta é uma das regras mais difíceis para o dependente de cocaína aceitar. O indivíduo tende a focalizar todas as suas dificuldades por exemplo na cocaína, desprezando a participação das outras substâncias no seu padrão de consumo. O consumo de álcool ou de maconha freqüentemente representa o primeiro passo para uma recaída no consumo da própria cocaína. Além desse fato, o consumo de qualquer substância evoca as memórias do consumo da droga principal consumida, desencadeando “fissuras” intensas. Ao consumir outra droga, o indivíduo terá menor capacidade de resistir a tais “fissuras”, recorrendo ao consumo.

4 - Mudar o estilo de vida
Os dependentes de drogas não podem manter os relacionamentos com antigos companheiros de consumo, não podem ir aos bares e outros ambientes onde costumavam encontrar esses colegas, pois o consumo de substâncias psicoativas (drogas e/ou álcool) é a atividade central dessas atividades. O indivíduo, nessas ocasiões, volta a sentir desejo intenso, como uma necessidade de consumir, não conseguindo resistir à droga. Esta é a principal razão de recaídas, pelo menos nos pacientes em tratamento.

5 - Sempre que possível evitar situações, pessoas e ambiente que causem fissuras
É importante antecipar estas situações em tratamento antes de se encontrar nas situações acima descritas, para que o paciente possa lidar adequadamente e evite o uso. Os dependentes em tratamento nunca devem testar-se, para saber “como estão indo no tratamento”. Este fenômeno é muito visto entre os pacientes, que acreditam que “passando no teste” estarão provando que voltaram a conquistar o controle sobre a droga e que “jamais irão consumir novamente”. Infelizmente nada poderia ser mais falso que isto. Mesmo passando no “teste” o paciente estará mais próximo de uma recaída, por ter se aproximado ao ambiente de consumo e, provavelmente, por excesso de autoconfiança.

6 - Procurar outras recompensas (fontes de prazer)
Durante a trajetória da dependência os indivíduos costumam afastar-se de praticamente todas as formas de lazer que não se encontram associadas diretamente ao consumo.Freqüentemente abandonam hobbies, afastam-se de pessoas que não usam, param de exercitar-se; com a evolução da dependência mesmo o interesse no sexo reduz muito, e a vida torna-se escassa de prazeres não quimicamente induzidos. O aprendizado de como voltar a estar em sintonia com o mundo “careta” é uma das tarefas mais difíceis da recuperação. Alguns indivíduos chegam a relatar que “desaprenderam a falar” sem o efeito das drogas.

7 - Cuidados pessoais: aparência, alimentação, exercício etc.
A cocaína, por exemplo, é um potente inibidor do apetite, de forma que usuários crônicos tendem a apresentar deficiências de diversos nutrientes e vitaminas. Alguns indivíduos dependentes de álcool e/ou drogas ingressam no tratamento realmente depauperados fisicamente.Da mesma forma, o condicionamento físico do paciente costuma ser negligenciado, indicando a inclusão de exercícios físicos na recuperação do paciente. O exercício pode, ainda, auxiliar a controlar ansiedade do indivíduo, facilitando a manutenção da abstinência, e produz sensação de bem-estar pela liberação de substâncias (endorfinas), que podem resultar em redução do desejo pelo consumo.

Fases do tratamento de abuso e dependência de álcool e drogas

- Desintoxicação ou Promoção da abstinência
Fase de abstinência sob supervisão médica dos efeitos do consumo de álcool ou outras drogas. Fisiologicamente esta fase dura poucos dias, porém a vontade de consumo pode persistir por meses. O uso de medicações pode reduzir o desconforto dos usuários ou mesmo minimizar as complicações médicas. A desintoxicação estabiliza o paciente, permitindo que ele ingresse na próxima fase do tratamento. Porém a desintoxicação sozinha tem mínimo impacto na dependência

- Reabilitação
É a fase do tratamento em que os paciente aprendem como modificar seu comportamento para manter a abstinência. Inúmeras modalidades terapêuticas podem (e devem) ser utilizadas para esta finalidade – aconselhamento individual e familiar, aprendizado sobre dependência e sobre as substâncias que consome, psicoterapia individual e familiar, medicações contra as vontades de consumo que o indivíduo apresenta, treinamento social e vocacional, e outros processos são integrantes desta fase. Grupos de mútua-ajuda devem sempre ser incluídos no processo de reabilitação

- Cuidados continuados
Muitos dos pacientes dependentes devem se manter em tratamento por um período longo em suas vidas. Esta fase é composta de propostas para a manutenção do estado de sobriedade frente às dificuldades de suas vidas. Participação em grupos de mútua-ajuda é um dos mais conhecidos meios de manutenção dos benefícios conseguidos em um tratamento. Outras possibilidades para esta fase são oferecidas pelas comunidades terapêuticas. Elas oferecem um ambiente bem estruturado para indivíduos que não disponham destes recursos em sua vida. As internações nestas instituições são freqüentemente longas, possibilitando uma estruturação da vida do indivíduo antes dele retornar ao seu ambiente de vida. Todas as modalidades oferecem suporte moral e encorajamento.

- Prevenção de recaídas
Estratégias que podem ser aplicadas conjuntamente ou logo após o tratamento primário (desintoxicação ou reabilitação). Em geral estas estratégias têm o objetivo de antecipar (e lidar) com as situações em que os pacientes terão possibilidade de recair, ajudando-os a adquirir instrumentos eficazes para evitar uma recaída, também modificando seu estilo de vida. Assim sendo são efetivas na redução da exposição dos indivíduos às situações de risco, fortalecendo suas habilidades de evitar uma recaída.
Fonte: GREA - Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas

As regras do tratamento - Passo a passo as normas impostas pela Anvisa para o funcionamento das comunidades terapêuticas

Como deve ser escolhida a instituição que cuidará do tratamento da dependência de drogas de um familiar ou de um amigo próximo? Essa é uma pergunta muitas vezes presente nas consultas feitas à Abrafam (Associação Brasileira de Apoio aos Familiares de Droga-dependentes) - mas para a qual não existe uma resposta única. Em primeiro lugar, porque não existe tratamento que sirva para todos. Em qualquer área da saúde, cada indivíduo apresenta necessidades diferentes e reações diferentes às mais variadas terapias. Assim, não seria possível compor um "guia de tratamento de drogadependentes". E, certamente, se existisse um, não haveria tantos dependentes em apuros...
No entanto, algumas orientações básicas são imprescindíveis. A primeira delas é verificar se, no mínimo, a lei está sendo cumprida. O tratamento da drogadição pode ser realizado das mais diferentes formas: em regime de ambulatório, domiciliar ou de internamento, sendo que esse último ainda subdivide-se entre vários tipos de serviços prestados por diferentes instituições: clínicas, hospitais, comunidades terapêuticas. E, com relação às comunidades terapêuticas, a legislação existe para defender o paciente.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão do Ministério da Saúde, publicou, em maio, a Resolução número 101, preparada por membros de diferentes áreas, que trata do assunto. Ali estão descritas regras de funcionamento que devem ser do conhecimento de qualquer pessoa internada ou que tenha providenciado o internamento de alguém, pois deslizes ou claros exemplos de negligência podem passar despercebidos por pura falta de informação. Assim, para apoiar a família nesse universo tão grande de comunidades espalhadas por todo o país, acompanhe este estudo e confira o texto integral da Resolução a seguir.

Para que serve
A Resolução 101, de 30 de maio de 2001, segundo Gonçalo Vecina Neto, que a assina, vem para normatizar e estabelecer padrões mínimos para o funcionamento de serviços públicos e privados de atenção às pessoas com transtornos decorrentes do uso de drogas. Expõe exigências mínimas para o funcionamento dessas instituições, denominadas de comunidades terapêuticas e dá prazo de dois anos para que as que já existem adaptem-se às normas (portanto, até 2003).

A quem se aplica
As normas se aplicam a qualquer pessoa física ou jurídica, de direito privado ou público, envolvida direta ou indiretamente na atenção a indivíduos com transtornos decorrentes do uso de substâncias psicoativas, sejam elas quais forem. Esses responsáveis, podem ser, portanto, uma empresa - um hospital, por exemplo, público ou privado - ou uma pessoa - um médico, um religioso ou qualquer outro interessado em responsabilizar-se pela instituição. Assim, não vale dizer que só os espaços públicos têm que seguir a regra: todos que se proponham a prestar esse tipo de tratamento estão sujeitos ao que determina a Resolução. E mais: uma pessoa deve designar-se como responsável técnica pelo estabelecimento e deve ter curso superior completo na área de saúde ou da assistência social.

Penalidades
Tratando-se de uma Resolução - e não propriamente de uma lei - quem não cumpre as regras é penalizado de acordo com o que determina a Lei 6.437, de 20 de agosto de1977, pois não agiu de acordo com o determinado pela Vigilância Sanitária e, portanto, incorreu no que é chamado de "infração sanitária". A Vigilância se atribui a obrigação, inclusive, de fiscalizar essas instituições anualmente (para o que requer livre acesso às instalações). Está escrito no texto da Resolução. Se essa meta puder ser cumprida, isso significa que as entidades deverão manter também em ordem a documentação relacionada às licenças de funcionamento, prontuários de pacientes etc., pois qualquer irregularidade poderá significar infração.

O que são as comunidades terapêuticas
De acordo com o texto da Resolução, as comunidades terapêuticas são lugares onde se internam - em regime de residência ou por turnos - pessoas que precisem de serviços de suporte e terapia por uso ou abuso de substâncias psicoativas. Nesses locais, "o principal instrumento terapêutico é a convivência entre os pares", diferenciando o tipo de tratamento aplicado ali ao de uma psicoterapia individual, por exemplo, ou do oferecido num hospital geral. Na comunidade terapêutica, o interno convive com outras pessoas que estão nas mesmas condições que ele e com quem pode trocar experiências.

Avaliação
No momento da internação, o paciente deve ser avaliado segundo uma série de critérios descritos na Resolução e classificado de acordo com a gravidade de seu estado (muito dependente da droga e com grandes comprometimentos), com a sua motivação para se tratar de acordo com os danos que a droga já provocou em seu organismo e em sua mente. Além disso, o avaliador deve verificar quais são as condições familiares. Essa avaliação necessariamente tem que ser feita conforme os critérios descritos na Resolução e todos os dados registrados num relatório.

Quem pode se internar?
As comunidades terapêutica não podem recusar-se a atender uma pessoa pelo fato de que ela apresenta, além da dependência de drogas, alguma outra doença associada. Também não pode "escolher" tratar apenas um dos mais comprometidos ou apenas daqueles cujo comprometimento pelo uso de substâncias psicoativas ainda não é tão grave. Após uma avaliação diagnóstica, química e psiquiátrica, os resultados têm de ser anotados numa ficha de admissão. Quem apresenta comprometimento grave do organismo ou da psique deve, necessariamente encaminhado para um serviço especializado, ou seja, ao um hospital ou unidade de terapia intensiva, que possa cuidar de reverter os danos ao corpo, e/ou a um hospital psiquiátrico.
Crenças religiosas ou ideológicas também não são motivos para recusa da internação. Da mesma forma, ninguém pode ser ou permanecer internado contra a vontade nesse tipo de instituição - a menos que encaminhada por um mandado judicial - e todos os pacientes têm o direito de interromper o tratamento no momento que desejarem, exceto se estiverem em risco de vida (por intoxicação ou ameaça de suicídio, por exemplo) ou pondo em risco a vida de outros.

Regulamento Interno
Ao admitir um paciente, a instituição deve expor a ele e a seus familiares sobre suas normas de funcionamento, regime de internação e proposta de tratamento, já com uma previsão do tempo previsto para sua conclusão. Toda a rotina do horário de despertar, atendimento individual ou grupal, programas educacionais, etc., deve ser entregue por escrito. As atividades obrigatórias e opcionais, os critérios de alta e de acompanhamento após a alta também devem ficar bem claros nesse documento e o paciente ou responsável assinará um termo de concordância com o regulamento.

Instalações e Capacidade
As comunidades terapêuticas devem ter capacidade máxima de alojamento para 60 residentes, alocados em, no máximo duas unidades. Isso vale para instituições criadas a partir da data da Resolução. As que existiam anteriormente podem ter até 90 moradores em no máximo três unidades. As comunidades que também prestam atendimento médico devem estar de acordo com a legislação (e licenças de funcionamento) específicas. A Resolução faz uma sugestão das instalações ideais.

Medicamentos
Algumas vezes, é admitido um interno que já utiliza algum tipo de medicamento de venda controlada (psiquiátrico ou para tratamento de qualquer doença). A direção da comunidade terapêutica deve responsabilizar-se, nesses casos, pela guarda e administração do medicamento ao paciente. Nos casos em que a comunidade também presta atendimento médico de desintoxicação - em que, muitas vezes, são utilizadas substâncias psicoativas semelhantes ás drogas de abuso e que podem, portanto, provocar dependência quando usadas sem controle, a instituição deve ter licença de funcionamento específica e submeter-se a regulamento técnico próprio do Ministério da Saúde.

Direitos do Paciente
A Resolução da Anvisa descreve que todo paciente, durante a internação na comunidade terapêutica, tem direito:
- a exercer sua cidadania (votar, por exemplo)
- ao sigilo sobre suas condições clínicas e psíquicas
- a cuidados com sua segurança
- a alojamentos e higiene adequados
- a receber alimentação nutritiva
- a estar livre de castigos físicos, psíquicos ou morais
- ao livre exercício de sua espiritualidade
- ao cumprimento de recomendações médicas
- a ser encaminhado para outros serviços quando a comunidade não for capaz de resolver intercorrências
- a receber seus medicamentos de acordo com a prescrição médica
Revista Droga e Família - Órgão Oficial da Abrafam - Associação Brasileira de Apoio às Famílias de Drogadependentes

Leia mais >>

Se seu filho está usando drogas

Procure informação e, se possível ajuda especializada mesmo, antes de conversar com o seu filho. Ele sempre terá um argumento para justificar o uso, além de minimizar o problema

Não permita que seu filho fume maconha dentro de casa, a fim de manter o controle. Essa atitude, além de proibida por lei, não diminui os riscos

Se o seu filho está arredio e não quer te escutar, procure alguém que ele respeite, como um parente ou amigo da família

Leve - o para um psicólogo ou psiquiatra especializado. Além de mostrar que ele está prejudicando a própria vida, a terapia pode ajudar nas questões que o levaram a buscar a droga. È importante que o profissional tenha experiência na área

Participe de grupos de ajuda mútua dirigidos para pais de dependentes, ainda que seu filho não esteja em tratamento. Mudando seu comportamento, é possível que seu filho decida se tratar

Coloque limites em casa, como delegar tarefas, controlar o dinheiro e impor horários. Enquanto o jovem tem tudo o que precisa, dificilmente sente - se estimulado a largar as drogas

Seja firme e nunca volte atrás. Negar ajuda pode ser melhor ajuda

Lembre - se que, pagando dívidas que seu filho fez com traficantes, você pode estar dando início a um ciclo vicioso. Não deixe de procurar ajuda quando a situação envolver traficantes

Por: Antônio Rabello Filho, do Instituto Souza Novaes, psicóloga Lygia Humberg, da USP, psicóloga Neliana Figlie,da Unifesp, livro "Anjos Caídos", do psiquiatra Içami Tiba, psiquiatra José Antonio Ribeiro e psicólogo Marcos Govoni

Leia mais >>

Após sair da cadeia rapaz vai ao culto e é assassinado a facadas


Rapaz de 22 anos é assassinado no bairro Esperança, em Caratinga, enquanto assistia a um culto evangélico. Nelson Otaviano da Silva, conhecido como Nelsinho, estava no interior do templo quando foi chamado e esfaqueado por Jonas de Paiva Vieira, conhecido como Diedié, de 21 anos.

Segundo informações de testemunhas, Diedié entrou no templo religioso, portando uma faca, se aproximou de Nelsinho e o intimou a ir para a parte externa. Após um curto espaço de tempo de discussão em voz baixa, Jonas deu um golpe de faca no pescoço de Nelson Otaviano. A facada certeira chegou a transpassar o pescoço do rapaz, que foi socorrido ao Pronto Atendimento de Caratinga.


De acordo com o médico plantonista, Nelsinho morreu antes de ser atendido. O rapaz morto havia deixado o Presídio de Caratinga um dia antes, na última terça-feira, 16, onde esteve preso por três meses devido seu envolvimento no tráfico de drogas.

Familiares afirmaram que o motivo do crime pode ter sido passional, já que Nelsinho mantinha um relacionamento com a ex-namorada de Jonas. Situação, que segundo parentes, gerava desconforto e ciúmes. Havia ameaças de matá-lo assim que saísse da cadeia.

Além disso, Jonas de Paiva afirmava que Nelsinho lhe devia R$ 40,00 da compra de drogas. Fonte: Portal Caparaó / Gospel+

Leia mais >>

Lula classifica como "censura" projeto de lei sobre crimes na internet

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (26) que a chamada "Lei Azeredo", que tipifica crimes cometidos na internet, tem o objetivo de "fazer censura" na rede. A afirmação foi feita durante o 10º Fisl (Fórum Internacional do Software Livre), que acontece em Porto Alegre, informa a repórter Daniela Arrais, repórter do caderno Informática da Folha, em post no blog Circuito Integrado.

A matéria gera críticas de diferentes setores da sociedade civil, por supostamente ter o potencial de promover a criminalização em massa de usuários de internet.

Foto:Cristiano Sant´Anna/indicefoto.com


Marcelo Branco (à esq.), coordenador geral da Associação Software Livre.org, e o presidente Lula, durante evento no RS

"A lei que está aí não visa proibir abuso de internet. Ela quer fazer censura", afirmou Lula. O presidente afirmou, ainda, que não se pode condenar a maioria das pessoas por conta de ações pontuais negativas. "As pessoas de bem são maioria. Não vamos ficar assim porque de vez em quando aparece um maluco. Os que promovem a vida são muito mais numerosos."


A matéria, aprovada em votação simbólica no Senado, está em apreciação pela Câmara.O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que concebeu o texto da lei aprovado, faz parte da oposição ao governo Lula e nega essas acusações.

O ministro Tarso Genro (Justiça) já havia criticado o projeto. Em carta, revelou que trabalha para que artigos do texto sejam vetados.

No total, o projeto cria 13 novos crimes, com penas que variam de um a três anos de prisão na maioria dos casos. O texto considera crime estelionato e falsificação de dados eletrônicos ou documentos; criação ou divulgação de arquivos com material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes; roubo de senhas de usuários do comércio eletrônico; e divulgação de imagens privadas. Fonte: Folha Online

Leia mais >>

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Escola Penitenciária e Patronato de Londrina realizam nos dias 8 e 9 de julho em Londrina Seminário de Políticas Penitenciárias e Cidadania

A Escola Penitenciária do Paraná em conjunto com o Patronato de Londrina realizam em Londrina nos dias 8 e 9 de julho o Seminário de Políticas Penitenciárias e Cidadania: Mudança de paradigmas, construção de práticas.

O Seminário ocorrerá no Auditório do CESA da Universidade Estadual de Londrina e o objetivo é discutir o panorama nacional, estadual e municipal da articulação entre a cidadania e a política penitenciária, dimensionar mudanças de paradigmas e construir práticas no sentido da efetiva inserção das pessoas em conflito com a lei que cumprem ou já cumpriram pena em regime aberto, semi-aberto e/ou fechado no município de Londrina.Como estratégia, será realizada uma Conferência Livre para que as propostas advindas das discussões sejam enviadas à 1ª Conferência Nacional de Segurança a ser realizada em agosto de 2009.

Continue lendo e confira a programação

Programação

Dia 08/07/2009
8:00 às 9:00 Abertura
9:00 às 9:30 Café

9:30 às 12:00 Conferência “Saúde, reintegração social e ensino no Sistema Penitenciário- articulações com a cidadania”, com Ana Cristina de Alencar Bezerra de Oliveira , Coordenadora Geral de Reintegração Social e Ensino do Departamento Penitenciário Nacional DEPEN- Ministério da Justiça, psicóloga, especialista em Saúde Mental e em Segurança Pública e Defesa Social, mestranda em Ciência Política.

12 às 13:30 Almoço

13:30 às 15:30 Conferência “Sistema Penitenciário do Paraná: panorama atual e perpectivas”, com Cezinando Vieira Paredes, Coordenador Geral do Departamento Penitenciário do Paraná, advogado, especialista em Modalidades de Tratamento penal e Gestão Penitenciária.

15:30 às 16:00 Café

16:00 às 17:30 Mesa Redonda “Inserção Social de pessoas em conflito com a lei: possibilidades e desafios”, com a participação dos Secretários Municipais da Saúde – Agajan A. Der Bedrossian, Ação Social- Jaqueline Marçal Micali, Cultura- Leonardo Ramos e da Mulher- Sueli Galhardi, a chefe do Núcleo Regional de Ensino- Márcia Lopes, e a Gerente da Agência do Trabalhador/Londrina – Doris Andrade da Cruz.

Dia 09/07/2009

Conferência Livre Preparatória para a 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública – 1ª CONSEG

8:00 às 9:30- Apresentação das atividades da Conferência Livre.

9:30 às 10:00- Café

10:00 às 12:00- Discussão em grupos

Almoço

13:30 às 15:00 - Discussão em grupos

15:30 às 16:00 - Café

16:00 às 18:00 – Apresentação e aprovação das Diretrizes e Princípios.

Leia mais >>

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Para STJ, pagar por sexo com criança não é crime

Tribunal absolve “cliente ocasional” de sexo com menores de idade e choca defensores dos direitos da infância

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu na semana passada que um “cliente ocasional” não comete um crime ao pagar para fazer sexo com crianças e adolescentes. O caso chegou ao STJ depois de o Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul rejeitar a acusação contra dois homens que contrataram adolescentes para manter relações sexuais. Na ocasião, a dupla aliciou duas jovens pelo valor de R$ 80.

De acordo com os ministros do STJ, não há crime porque não foram os aliciadores que iniciaram as atividades sexuais das garotas. Especialistas e juristas da área da infância afirmam que a decisão é contrária a toda a legislação existente na área, e que, além de equivocada, é inconstitucional. Para eles, o STJ vai na contramão de tudo o que vem se discutindo sobre direitos humanos nos últimos 30 anos. E o pior: pode abrir precedentes perigosos.


O juiz estadual absolveu os réus porque, de acordo com ele, “as prostitutas esperam o cliente na rua e já não são mais pessoas que gozam de uma boa imagem perante a sociedade”. O magistrado afirma ainda que a “prostituição é uma profissão tão antiga que é considerada no meio social apenas um desregramento moral, mas jamais uma ilegalidade penal”. O STJ manteve este posicionamento e apenas condenou os dois jovens por portarem material pornográfico, já que além do programa, ainda tiraram fotos das meninas nuas.

Para juristas a deliberação é tão equivocada que chega a ser absurda. O artigo 244-A do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é claro ao afirmar que exploração sexual infantil é crime. E não fala sobre a ilicitude do ato ser na primeira, segunda ou terceira vez. Todas são condenadas pela legislação. No artigo 227 da Constituição Federal também está esclarecido que fazer sexo com crianças ou adolescentes mediante pagamento é crime independentemente da frequência.
O procurador-geral de Justiça do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior, um dos criadores do ECA, afirma que uma modificação no Estatuto foi feita em 2000 justamente para evitar este tipo de equívoco. Na versão original do documento, de 1990, o artigo 244-A não existia. “Mesmo elas já sendo exploradas anteriormente, isto não dá um salvo-conduto para mantê-las nesta condição. A decisão é contrária à doutrina da proteção integral que rege nossa lei na área da infância”.
O Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo quando os assuntos são a infãncia e a adolescência. Além do pioneiro ECA, o país também é signatário de vários outros tratados internacionais sobre o tema, como a Convenção sobre os Direitos da Criança e a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra as Mulheres.
Vergonha
Para o promotor Murillo Digiácomo, do Centro de Apoio Operacional às Promotorias (Caop) de Infância e Juventude do Ministério Público do Paraná, o caso é uma vergonha para o Brasil no cenário internacional. “É uma situação inqualificável. Qualquer pessoa que entende minimamente de direito da criança, qualquer cidadão fica chocado. Como uma corte de Justiça pode tomar uma atitude dessa, contrária a tudo o que a lei determina? A gente fica perplexo”.
Para os juristas, ainda falta conhecimento sobre os direitos da infância e adolescência. O Código Penal passou por mudanças e excluiu de seu texto a expressão “mulher honesta”, que facilitava a vida de estupradores e criminosos ao questionar a idoneidade das vítimas. Mas as decisões dos dois tribunais deixam claro que esta prática ainda está em voga. A decisão do STJ é embasada pelo fato de as meninas serem “prostitutas reconhecidas”. O relator do STJ, ministro Arnaldo Esteves Lima, foi procurado ontem pela reportagem, mas não quis se pronunciar sobre o caso. Agora o Ministério Público vai trabalhar para tentar reverter a decisão.
Para os especialistas, não punir quem explora sexualmente crianças e adolescentes é ignorar que há uma rede criminosa agindo. Sem demanda não há oferta. “Não tem nenhum elemento neste negócio do sexo criminoso que não tenha a mesma responsabilidade. Colocar o cliente como não responsável pela exploração é um pensamento que viola direitos humanos e incentiva a impunidade. É um grande retrocesso”, afirma Neide Castanha, pesquisadora e presidente do Comitê de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Para ela, não há combate sem punir os clientes.
Fonte: Portal RPC


Essa é a lei
Veja algumas das leis feitas para proteger as crianças e adolescentes contra a exploração sexual:
Convenção sobre os direitos da criança
Instrumento de proteção criado pelas Nações Unidas em 1989 e ratificado por 192 países, inclusive o Brasil.
Artigo 34
Os Estados Partes comprometem-se a proteger a criança contra todas as formas de exploração e abuso sexual. Nesse sentido, os Estados Partes tomarão, em especial, todas as medidas de caráter nacional, bilateral e multilateral que sejam necessárias para impedir:
a) o incentivo ou a coação para que uma criança dedique-se a qualquer atividade sexual ilegal;
b) a exploração da criança na prostituição ou outras práticas sexuais ilegais;
c) a exploração da criança em espetáculos ou materiais pornográficos.
Constituição Federal
Artigo 227
§ 4º – A lei punirá severamente o abuso, a violência e a exploração sexual da criança e do adolescente.
Estatuto da Criança e do Adolescente
Artigo 244– A
Submeter criança ou adolescente (...) à prostituição ou à exploração sexual:
Pena – reclusão de quatro a dez anos, e multa.

Leia mais >>

Absurdo!!! STJ diz não ser crime pagar por sexo com adolescentes

A decisão confirmou à tomada pela Justiça do Mato Grosso do Sul e revoltou especialistas

Os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) concluíram que dois homens que pagaram para fazer sexo com garotas de programa adolescentes não cometeram crime de exploração sexual de menores. A decisão confirmou à tomada pela Justiça do Mato Grosso do Sul e revoltou especialistas em Direito da Criança e do Adolescente.

Os réus foram acusados de contratar os serviços de três garotas de programa que estavam num ponto de ônibus. Teriam pago R$ 80 para duas adolescentes, que na época tinham 12 e 13 anos, e R$ 60 para uma mulher. O programa foi realizado em um motel, em 2006.


O caso chegou ao STJ porque o Ministério Público recorreu. O MP argumentou que o fato de as meninas serem prostitutas não exclui o crime de exploração sexual. Mas, na decisão, o STJ afirmou que o cliente “ocasional” que contrata uma adolescente que já é prostituta não pode ser acusado de submetê-la à prostituição ou à exploração sexual, crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Os ministros do Supremo apenas confirmaram a condenação dos dois réus por terem fotografado as menores em poses pornográficas.

Para especialistas em Direito da Criança e do Adolescente, a decisão abre um precedente perigoso.

– É uma aberração, uma interpretação equivocada e absurda do Estatuto da Criança e do Adolescente. O estatuto é claro ao afirmar que a exploração de menores é um crime permanente. Não importa quem iniciou o processo. Quando se pode punir, temos uma decisão absurda – afirma Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda).
Fonte: Zero Hora

Leia mais >>

Richa pede rigor nas investigações


O prefeito Beto Richa entregou ao Ministério Público Federal, nesta quarta-feira (24), um pedido de investigação rigorosa das acusações de supostas irregularidades em sua campanha de reeleição de 2008. A denúncia surgiu com a divulgação de um vídeo, filmado em comitê eleitoral independente de dissidentes do PRTB .

Richa esteve reunido com o procurador regional federal Neviton Guedes, o procurador eleitoral Armando Sobreiro Neto e a procuradora eleitoral Jacqueline Batisti, colocando-se à disposição para auxiliar nas investigações. “Quero que investiguem minha prestação de contas de campanha, minha vida pessoal e a minha administração da Prefeitura. Meus adversários estão querendo desconstruir minha honra e isto não vou permitir”, afirmou o prefeito.

O procurador Neviton Guedes disse que, até o momento, não há provas incriminatórias. “O que existe é uma representação contra a campanha, feita em depoimento e com base em fatos noticiados. Não há provas que apontem culpados ou que se possa dizer que houve irregularidades”, afirmou o procurador. “O prefeito veio pessoalmente pedir uma investigação rigorosa dos fatos, o que demonstra interesse de ajudar à Procuradoria”, disse Guedes.


Neviton Guedes destacou que o Ministério Público Federal quer saber a verdade. “Este caso está ganhando conotações políticas, que não interessam ao Ministério Público. Por isto, pretendo concluir rapidamente, buscando a verdade dos fatos”, declarou. Guedes pedirá dentro de dois dias a abertura de inquérito policial na Polícia Federal para que se investigue o caso.

No encontro com os representantes do Ministério Público, Richa disse que toda a documentação e qualquer outra informação que ajudem nas investigações serão repassadas ao Ministério Público. Richa informou que são mais de 16 mil páginas, que foram analisadas por uma equipe de contadores. “Desafio a todos os meus adversários que apresentem contas mais completas e transparentes”, declarou.

Richa destacou que, tão logo soube dos fatos, tomou as medidas necessárias. “Todos os envolvidos foram demitidos. Agora estou me pondo à disposição do Ministério Público”, afirmou. O coordenador jurídico da Coligação Curitiba O Trabalho Continua, Ivan Bonilha, participou da reunião.

Leia mais >>

Veja o documento entregue por Richa ao Ministério Público Federal

Excelentíssimo senhor Procurador Regional Eleitoral, DR. Neviton Oliveira Batista Guedes

CARLOS ALBERTO RICHA, prefeito do Município de Curitiba, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência expor e requerer o que se segue:

I. Notícias recentes divulgadas na imprensa, dotadas de absoluta impropriedade, sinalizam para ocorrências indignas que atingem minha honra.

II. Ao administrador público, detentor da confiança de 778. 514 cidadãos, é defeso sucumbir a atos que tais, sobretudo baseados na ira dos ferrenhos adversários que se escondem na penumbra.

III. A história tem demonstrado casos severos de injúrias cometidas, sobretudo para salvaguardar o retrocesso, o que jamais comunguei.

IV. Tenho uma minha vida pública pautada pela ética, pela moralidade e transparência. As lições que adquiri do homem público JOSÉ RICHA não autorizam que sobre mim pairem quaisquer máculas ou dúvidas.

Tenho um compromisso com o Ministério Público, com a Justiça e com o Povo do Paraná.

V. Diante disso, venho a presença de Vossa Excelência protestar pela imediata abertura de investigações relativas à Campanha Eleitoral de 2008, sobretudo os atos que possam maldosamente serem imputados a minha pessoa

Nestes termos,

Pede deferimento.

Carlos Alberto Richa.

Leia mais >>

terça-feira, 23 de junho de 2009

Utilidade Pública - Cuidado com a Dioxina

Infome publicitário da Unimed alerta sobre o perigo da dioxina. Clique sobre a imagem para ampliar.

Leia mais >>

Arqueólogos israelenses acham caverna com símbolos romanos e cristãos


Jerusalém, 21 jun (EFE).- Arqueólogos israelenses descobriram uma caverna gigantesca que data da época do Segundo Templo e que serviu primeiro como pedreira e, em séculos posteriores, durante o período bizantino, como local de peregrinação para cristãos.

A gruta, de 80 metros de comprimento e 50 de largura, fica dez metros abaixo da superfície, e os arqueólogos creem que possa ter sido utilizada tanto como lugar de oração quanto de refúgio.

“Estamos no começo da investigação”, afirma seu descobridor, Adam Zartal, do Instituto de Arqueologia da Universidade de Haifa, norte, em declarações à edição digital do jornal “Yedioth Ahronoth”.

Apesar de ressaltar que “é cedo para decidir para que construções ou em que cidades as pedras foram empregadas”, não se pode descartar que tenham sido transferidas até grandes construções de caráter religioso a dezenas de quilômetros.

“Pelo tamanho das pedras -algumas das quais ainda podem ser vistas no interior -, se tratava de projetos grandes em cidades desde Beit She’an até Jericó, passando por (a fortaleza de) Masada e Jerusalém”, acrescenta.

Responder à pergunta de onde chegaram as pedras desta pedreira milenar será o objetivo de um estudo arqueológico-geológico a ser realizado, mas, enquanto isso, Zartal antecipa que foram encontradas também 15 salas de diferentes tamanhos de uma altura de dois a três metros.

O teto da caverna se apoia sobre 20 colunas gigantescas de dois metros de largura por outros dois de comprimento, nas quais há gravadas dezenas de símbolos de diferentes épocas.

Muitos deles são cruzamentos da época bizantina, mas há também águias das legiões romanas e um zodíaco, diz o arqueólogo, que descobriu o lugar no final de março quando explorava a zona em um projeto arqueológico em escala regional.

Com o teto derrubado em grande parte da caverna, Zartal acredita que demorará até conseguir chegar ao chão original e completar o mapa da misteriosa caverna, que se encontra perto de onde se suspeita que as 12 tribos de Israel puderam atravessar o Rio Jordão há mais de três mil anos, segundo a Bíblia.

Na mesma região, chamada Gilgal, há duas igrejas bizantinas que poderiam ter sido construídas com rochas da pedreira.

Pelos símbolos, acredita-se que a caverna foi usada até o período da conquista muçulmana, em meados de século VII.

Fonte: G1

Leia mais >>

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Patriarca da Etiópia diz ter visto a Arca da Aliança

O líder cristão Abuna Paulos disse que não pode revelar exatamente onde a arca está

O patriarca copa ortodoxo da Etiópia, Abuna Paulos, garantiu em Roma ter visto a Arca da Aliança, e que o objeto sagrado encontra-se "em bom estado de conservação".

Paulos fez essa declaração durante a apresentação da construção, na cidade etíope de Axum, do Museu da Arca da Aliança, uma iniciativa de seu pontificado e da fundação Chrijecllu, presidida por Makonnen Haile Selassie, neto do último imperador etíope.

"A Arca da Aliança está há três mil anos na Etiópia e continua ali, aonde chegou por meio de um milagre e onde continua pela graça de Deus", afirmou ele a jornalistas.

O patriarca copta acrescentou que não pode dizer onde está a arca, mas que era capaz de garantir que já a havia visto e que ela corresponde à descrição dada na Bíblia.


"Não é feita pela mão do homem, é uma coisa que Deus abençoou para que assim fosse. Vi-a com um sentimento de humildade, não com orgulho", afirmou o líder religioso.

Paulos acrescentou que convidou o papa Bento XVI a visitar a cidade de Axum.

De acordo com a tradição copa etíope, a Arca, na qual foram guardadas as tábuas da lei dadas por Deus a Moisés, encontra-se na catedral de Tsion Maryam, em Axum.

A tradição etíope diz que o artefato foi levado a Axum pelo imperador etíope Menelik I, o lendário filho do rei Salomão com a rainha de Sabá.
Fonte: Estadão

Leia mais >>

Escola brasileiras sãos dominadas por preconceitos, diz estudo

Pessoas com deficiência, seguidas de negros e pardos são as que mais sofrem com esse tipo de manifestação

O preconceito está presente entre estudantes, pais, professores, diretores e funcionários das escolas brasileiras. As pessoas com deficiência, principalmente mental, seguidas de negros e pardos são as que mais sofrem com esse tipo de manifestação. Foi comprovada pela primeira vez uma relação entre preconceito e o desempenho na Prova Brasil, cujas notas mais baixas estão onde há maior hostilidade ao professor. Essas conclusões estão no estudo feito a pedido do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, órgãos do Ministério da Educação (MEC).


Os dados deste estudo inédito foi realizado em 501 escolas com 18.599 estudantes, pais e mães, professores e funcionários da rede pública de todos os Estados do País. A principal conclusão foi de que 99,3% dos entrevistados têm algum tipo de preconceito e que mais de 80% gostariam de manter algum nível de distanciamento social de portadores de necessidades especiais, homossexuais, pobres e negros. Do total, 96,5% têm preconceito em relação a pessoas com deficiência e 94,2% na questão racial.

“A pesquisa mostra que o preconceito não é isolado. A sociedade é preconceituosa, logo a escola também será. Esses preconceitos são tão amplos e profundos que quase caracterizam a nossa cultura”, afirma o responsável pela pesquisa, o economista José Afonso Mazzon, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEA).

Segundo Daniel Ximenez, diretor de estudos e acompanhamento da secretaria, os resultados vão embasar projetos que possam combater preconceitos que a escola não consegue desconstruir. “É possível pensarmos em cursos específicos para a equipe escolar. Mas são ações que demoram para ter resultados efetivos.”

Fonte: Agência Estado

Leia mais >>

Vigilantes do Paraná se unem contra projeto do governo Requião

Categoria promete lotar audiência pública, hoje, sobre proposta de substituir empresas terceirizadas por PMs da reserva

Projeto de Requião vai a debate na terça-feira

Vigilantes se concentram hoje, às 9 horas, em frente à Assembleia Legislativa do Paraná, para acompanhar a audiência pública onde será debatido o projeto que visa a substituir os vigilantes que prestam serviço de segurança para o Estado por policiais militares da reserva remunerada. Atualmente, a proteção a esses locais é feita por vigilantes privados contratados por empresas terceirizadas. A medida colocaria ao menos 6,8 mil profissionais nas ruas. O Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região (Sindivigilantes) repudiou a medida e apontou que tal situação, além de ferir a constituição federal, geraria uma crise de desemprego.

O anteprojeto de lei, de autoria do Governador do Paraná, Roberto Requião, foi encaminhado à Assembleia Legislativa no dia 20 de junho. De acordo como presidente do Sindivigilantes, João Soares, os policiais que fazem parte da reserva militar não se encaixam no perfil de profissionais necessário para a vigilância de patrimônios públicos, como escolas e hospitais. Segundo Soares, tais policiais são treinados para uma atividade ostensiva, bem diferente da preventiva realizada pelos vigilantes.

A mobilização da categoria acontece, principalmente, por conta do desemprego que tal medida geraria. Soares estima que a recolocação destes profissionais no mercado de trabalho levaria mais de cinco anos, o que geraria uma verdadeira catástrofe para o segmento da segurança privada. Para o sindicato, além de um caráter anti-social, o projeto apresenta uma série de falhas jurídicas.

Segundo Soares, a medida contraria os princípios da Constituição Federal e passa por cima de duas etapas básicas de contratação de serviços destinados ao setor público, que são a licitação ou concurso público, sem que haja remanejamento de função. “Os policiais que hoje fazem parte da reserva militar não prestaram concurso para exercer a função de guarda de patrimônio”, disse Soares.

O Sindivigilantes questiona ainda questão da segurança pública e aponta que tais policiais deveriam realizar um policiamento nas ruas da cidade, que está carente de segurança. “Se existe uma reserva de militares disponível para o Governo do Estado chamar para fazer vigilância privada, porque não chamar estes policiais e colocá-los nas ruas que estão tão carentes de segurança pública?”, questionou Soares.

Outra questão levantada pelo presidente do Sindivigilantes diz respeito ao salário destes policiais de reserva. “Esses profissionais são policiais aposentados que já tem um salário. Se voltarem à ativa, o governo vai oferecer, além do salário, uma gratificação de R$ 1,3 mil como forma de compensar pelo serviço realizado. E isso também é inconstitucional. A constituição prevê remuneração em subsídio único para os militares. Eles ficariam com dois salários”, disse.
Fonte: Bem Paraná

Leia mais >>

Desconstrução da imagem de Richa atenderia a interesses de Alvaro Dias

Para desqualificar as denúncias de caixa-dois na campanha de Beto Richa (PSDB) de 2008 e de compra de apoio dos vereadores dissidentes do PRTB, Fernando Ghignone, coordenador financeiro da campanha de Richa, e Ivan Bonilha, coordenador jurídico, exibiram um vídeo na coletiva desta tarde.

As imagens mostram uma conversa entre os dois (Bonilha e Ghignone) e Rodrigo Oriente (responsável pelas gravações de pagamento de propina aos membros do PRTB exibidas no Fantástico de ontem).

Na conversa, Oriente confirma que está em curso uma operação para denegrir a imagem de Beto Richa e deixá-lo de fora da disputa pelo governo do Estado em 2010. De acordo com as declarações de Oriente, o senador Alvaro Dias (PSDB) seria o principal interessado. Dias disputa com Richa a indicação tucana para disputa do governo do Estado em 2010.

Confira transcrições do vídeo exibido na coletiva:

Oriente: “Eu acredito que essa pressão que eu tenho sofrido tem sim o interesse de que o Beto não seja candidato a governador no ano que vem e o PSDB escolha outra pessoa, que já tem candidato a vice-governador em vista”.

Fernando Ghignone: “Cujo nome é Alvaro Dias?”

Oriente: “É”.

Ivan Bonilha: “Eu não entendi o negócio do vice”.

Oriente: “Ele disse que tem outra pessoa interessada”.

Ivan Bonilha: “Tá…PSDB?”

Oriente: “O candidato seria outro do PSDB com outro do PMDB como candidato a vice-governador”.


Fonte: Blog Política em Debate do Portal Bem Paraná

Leia mais >>

Campeonato Feminino de tênis de mesa entre as funcionárias administrativas do CDP de Maringá.

Silvana (3º lugar), Adriana (1º lugar) e Jocélia (2º lugar)

Sexta-feira (19) passada foi a premiação das vencedoras do 1º Campeonato Feminino de tênis de mesa das funcionárias administrativas do CDP de Maringá.

Mais uma vez deixo os parabéns a mulherada que sempre estão propondo atividades que promovem a amizade e a socialização entre os funcionários e contribuem para diminuir a tensão que existe no dia a dia de trabalho de uma penitenciária.

Mais uma vez a Kelly organizou o evento com muita dedicação e sucesso, parabéns a organização e as participantes que reservaram um tempo no seu horário de almoço para esta atividade desportiva.

As vencedoras do campeonato foram: em 1º lugar a Adriana (DIAF/RH), em 2º lugar a Jocélia (DIAF/GAB) e em 3º lugar a Silvana (DIAS).
Kelly (organizadora), Silvia, Silvana, Adriana, Jocélia, Maria e Andréia












Leia mais >>

Ricardo Oriente, o Sombra, contou para Ivan Bonilha a armação contra Beto Richa

Recuperada a fita bruta da edição que foi para o Fantástico, descobriu-se que o autor das gravações é também o denunciante, chamado Rodrigo Oriente.

Oriente foi ouvido pelo Procurador Ivan Bonilha e por Fernando Ghignone. Contou tudo o que aconteceu entre a gravação das imagens no comitê do Manasses até a negociação com os interessados em divulgá-la na imprensa. Esta conversa também foi gravada. Revela a armação inteira para prejudicar Beto Richa e os verdadeiros interessados.

Rodrigo Oriente ressalta, entre outros, o papel do empresário Maurício Xavier, que tem vínculos com Maurício Requião e também com o senador Alvaro Dias. E relata o papel do secretário de Segurança, Luiz Fernando Delazari, a pressioná-lo para fazer a denúncia formal.

Ao mesmo tempo da coletiva da campanha, às 15h00, o deputado federal Gustavo Fruet vai contar tudo da tribuna da Câmara, em Brasília.
Fonte: Blog Fabio Campana

Leia mais >>

O caso da gravação do Manasses, Gardolinski, Oriente & Cia.

Para entender o imbróglio do PRTB:

1 — O grupo liderado por Manasses de Oliveira apoiava Beto Richa desde a eleição de 2004. Tanto é que participou da administração anterior de Richa, na qual Manasses foi secretário do Trabalho.

2 — Este grupo do Manasses era hegemônico dentro do PRTB de Curitiba. Tanto que realizou uma convenção municipal e venceu, ficando certo que o partido coligaria com o PSDB e apoiaria Beto Richa para prefeito.

3 — Foi então que a direção estadual do PRTB decidiu mudar de rumo. Seu presidente estadual, Marino Teixeira, decidiu que o partido deveria apoiar Fábio Camargo, do PTB, para prefeito. Marino declarou nula a convenção municipal e colocou o PRTB a serviço da campanha de Fábio Camargo.

4 — Houve revolta dentro do PRTB de Curitiba. A maioria absoluta decidiu romper com o partido, mesmo que isso significasse perder a legenda e a possibilidade de se candidatar a vereador. Entre eles, vereadores eleitos, como o próprio Manasses de Oliveira e o Mestre Déa, e mais 26 candidatos.

5 –Ao saírem do PRTB, Manasses e sua turma organizaram um comitê independente para apoiar Beto Richa. Todos os ex-candidatos a vereador lá se reuniam para organizar eventos de campanha. Beto Richa compareceu á inauguração do comitê, embora ele não fizesse parte da estrutura oficial da campanha.

6 — O coordenador do comitê era Alexandre Gardolinski que, entre outras, arrecadava e fazia pagamentos de despesas aos membros do PRTB. Gardolinski, para comprovar os pagamentos e ter munição para tratar com Manasses de Oliveira, decidiu gravar as reuniões e os pagamentos feitos, muitos deles sem notas, sem comprovação e cobertos com documentos frios, como se vê na própria gravação.

7 — Estas gravações, segundo Gardolinski, acabaram nas mãos de Rodrigo Oriente, que as negociou com Fábio Camargo, o candidato do PTB que perdeu o apoio de Manasses e seu grupo. Das mãos de Fábio teriam saído cópias que chegaram ao governador Requião, ao senador Alvaro Dias, a procuradores do Ministério Público, juízes, desembargadores, deputados e empresários, entre eles Maurício Xavier, muito ligado a Maurício Requião, irmão do governador Requião. Xavier estaria, hoje, integrado à campanha de Alvaro Dias.

8 — Das mãos dos adversários de Beto Richa para a mídia foi um pulo. E assim ela serviu de base para o primeiro grande ataque a Beto Richa na disputa eleitoral deste ano. É evidente que a divulgação não está preocupada em esclarecer o imbróglio interno do PRTB, mas procura atingir Richa, o mais forte candidato à sucessão de Requião.

9 — Beto Richa fez mais de 77% dos votos válidos para se reeleger prefeito em Curitiba. É claro que a participação de Manasses e seu comitê de excluídos do PRTB não modificaram decisivamente o resultado da campanha.

10 — Assim que soube das imagens, o prefeito Beto Richa pediu para vê-las e assim que as viu demitiu da prefeitura os três cabeças do comitê do PRTB de Manasses. Não se descarta a possibilidade novas demissões, pois na divulgação através do Fantástico, da Globo, apareceram novas figuras envolvidas.

11 — A coordenação da campanha da coligação “O Trabalho Continua”, de Beto Richa, dará entrevista hoje, às 15h00, no Hotel Bourbon.
Fonte: Blog Fabio Campana

Leia mais >>

Presídio da Bahia treina detentos para 'fugir' em caso de emergência

Penitenciária fica em área de dutos de pólo petroquímico.
Quando chegam, detentos assistem vídeo com instruções de rota de fuga.

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil Presídio Simões Filho, perto de área próxima ao Pólo Petroquímico de Camaçari (Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil)

O presídio Simões Filho, que fica perto de Salvador (BA), precisa treinar os detentos para 'fugir' em caso de emergência, uma vez que fica em área considerada de risco pela proximidade dos dutos do Pólo Petroquímico de Camaçari.

A informação consta de reportagem da "Agência Brasil" sobre a situação de presídios brasileiros.

Conforme a reportagem, o local tem 250 detentos e foi construído em 2002 mesmo sob protesto da Petrobras. Havia um estudo que mostrava que, no caso de acidente com produtos tóxicos, a área tinha que ser evacuada em dez minutos.

O Ministério Público da Bahia firmou termo com o governo estadual, responsável pelo presídio, para que, no caso de emergência, todas as portas do presídio sejam abertas eletronicamente.

Todos os presos que chegam no local são orientados sobre a rota de fuga no caso de acidentes.


A "Agência Brasil" informou que todos os detentos que chegam ao local assistem um vídeo com instruções.

Os presos do local estão em regime semi-aberto: saem durante o dia para trabalhar, mas dormem no presídio com celas trancadas.

Políticos locais, entidades e governo do estado discutem a desativação do presídio
Fonte: Portal G1

Leia mais >>

domingo, 21 de junho de 2009

Charge

Leia mais >>

Esforça-te e tem bom ânimo - Por Luciano Brito

Clique aqui...e ouça esta palavra de encorajamento

”Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em cristo Jesus.” Filpenses 3.14

Meu querido, minha querida; Paulo comunica a igreja que estava na cidade de Felipo que ele estava indo em direção a um alvo, um alvo para o qual ele reconhece ter sido vocacionado por Deus através de Cristo Jesus, ou seja ele foi criado para alcançar um objetivo.

A comparação que ele utiliza para falar sobre a convicção de sua luta diária é a de um corredor que se esforça para atingir a linha de chegada.

Muitas vezes nos sentimos sem forças para continuar a perseguir os nossos sonhos, nos sentimos sozinhos, nos sentimos até mesmo distantes do Senhor e da força do Seu poder, contudo, Paulo nos ensina que devemos continuar avançando, continuar a sonhar os sonhos de Deus, continuar a fazer aquilo que o Senhor deseja que façamos.


Para que isto seja uma realidade na sua vida, na minha vida, muitas vezes precisamos nos esquecer do que ficou para trás e nos focar na linha de chegada, como um corredor que se esforça ao máximo na reta final e mentaliza a sua chegada triunfante.

Você que está abatido, você que está triste, você que está desanimado avance e veja a sua vitória, se esforce um pouco mais para se sujeitar a Deus, Ele tem poder e te ajudará a vencer.

Não desanime, mas, confie em Deus ele já te socorreu antes, lembre-se que Ele te fará vencer tão somente continue a se esforçar, levante a cabeça e creia que o Senhor é contigo.

“... tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo...” Josué 1.7

Leia mais >>

O Delírio de Dawkins Exposto - Parte 1

Leia mais >>